Anúncios recentes
App
Compartilhe

Principais componentes encontrados em brincos, pulseiras, tornozeleiras, colares

Antes de mais nada, acessórios são artigos suplementares ao vestuário (roupa). Aqui referem-se especificamente a brincos, pulseiras, tornozeleiras e colares femininos.

Tornozeleiras × pulseiras

Em termos de construção, a diferença está no comprimento. A tornozeleira nada mais é que uma "pulseira" para o tornozelo. Então ela precisa ser mais comprida que a pulseira de fato.

Já em termos de design, a diferença mais notável é a funcionalidade. Como tornozeleiras ficam na articulação entre a perna e o pé, deve-se levar em conta a mobilidade. Significa que não podem ser muito barulhentas, do contrário se terá um chocalho no pé. Também não pode ser muito frágeis. Portanto, acabam sendo (por causa do silêncio, resistência) concebidas com um design mais simples e rústico que as pulseiras.

Outra diferença também é quanto ao uso. Tornozeleiras tendem a ser acessórios de estação. São usadas quase que exclusivamente no verão. Exceto em países tropicais, como o Brasil, onde são adotadas o ano inteiro. São bem familiares em praias e proximidades da orla (calçadões, quiosques, bares, etc).

Peças que compõem alguns acessórios

Alguns componentes são de uso comum em brincos, pulseiras, tornozeleiras e colares. Por exemplo, strass, entremeios, argolas e contrapinos. Outros são bem mais específicos como as bases (anzol e pino), usadas somente em brincos.

Brincos (earrings)

  • Base (earring setting)

    A base é o suporte que conecta o brinco propriamente dito com a orelha. Pode ser de diversos materiais, entre eles: metal (mais usado), madeira, resina, acrílico e biscuit.

    • Anzol (earring hook, ear wire)
      Base anzol nas cores: ouro velho, dourado, níquel, grafite

      Essa base é um gancho (geralmente metálico) que lembra um anzol de pescar. Serve para pendurar algo no lóbulo da orelha: entremeio, franja tassel, resina, madeira, pedra, pérola ou conta (espetada numa tulipa), entre outros.

      Brincos com essa base costumam possuir argolas, alfinetes (espigão) e tulipas.

    • Pino (earring stud)

      Essa base possui um pino que é fixado à orelha (ao atravessar seu orifício) por uma tarraxa (metálica ou de silicone). Os modelos mais simples são aqueles destinados aos bebês (feitos de aço cirúrgico) e os "piercings".

      O pino é geralmente metálico e a base em si pode ser constituída de materiais diversos (metal, madeira, resina, acrílico, biscuit, cerâmica, etc).

      Apesar de existir modelos feitos para pendurar algo (como da base anzol), essas bases são concebidas principalmente para manterem-se fixas e imóveis na orelha. Servem de suporte para: chaton, strass, pedra, resina, entre outros.

    • Argola (hoop earring)

      Geralmente a base argola (arco) é o próprio brinco em si (possui um pino de trava). Alguns modelos usam base anzol (o arco fica pendurado) enquanto outros, base pino com trava (a argola é um semicírculo).

    Em termos de uso, a base a ser escolhida dependerá da tendência da moda corrente (ou obviamente de preferência pessoal).

    Já tamanho e formato de brincos irão se harmonizar melhor de acordo com o formato do rosto (oval, redondo, quadrado, retangular, diamante, coração, triangular invertido) ou cabelo (corte, cor, comprimento, volume) de cada mulher.

  • Tarraxa (earring back)
    Tarraxas de metal e silicone

    É usada apenas com base de pino e serve para fechá-lo no lóbulo da orelha. Pode ser metálica, de silicone e do tipo "sutiã" (usada em brinco de bebês ou simplesmente onde se quer um reforço extra).

  • Tulipa

    É um pequeno suporte para contas, usada em parceria com alfinetes.

    A tulipa é espetada até a cabeça do alfinete e a conta vem logo a seguir. A tulipa assim garante um apoio firme à conta, bem como melhora o acabamento.

  • Alfinete (head pin)
    Alfinetes

    É um componente usado em diversos outros acessórios. Em brincos, alfinetes são muito usados como suporte para contas e miçangas.

  • Chaton (cabochon)
    Chatons

    Também chamado de cabuchão (cabochão). Assemelha-se a uma pedra (gema) ou pérola cortada ao meio.

    Os tamanhos são padronizados. Apresenta-se sob diversas cores e formatos. Os formatos mais comuns são: redondo, oval, gota, quadrado, retângulo e coração.

    Sua composição mais popular é resina ou plástico. Sendo que alguns modelos possuem uma base metálica.

    Chatons são usados majoritariamente em base de pino.

  • Strass
    Strass

    O strass aparenta-se com uma pedra preciosa lapidada. É feito de acrílico, cristal de vidro ou de rocha. Costuma ser bem brilhante. Sua base é comumente cônica (tal como um diamante lapidado). Apresenta-se sob diversos tamanhos (padronizados), cores (pantones), níveis de transparência e facetas (geralmente 8 ou 11 facetas).

    É empregado em entremeios e base de brincos do tipo pino.

    Os tamanhos padronizados de strass possuem os prefixos PP (Pearl Plate) ou SS (Stone Size) seguidos por um número. Para saber o tamanho exato deve-se consultar uma tabela de strass.

    Alguns exemplos de marcas: Oktant, Luminix e Preciosa.

    Existe também um "strass" de luxo: cristais Swarovski.

  • Murano

    É um vidro produzido com técnicas originárias do arquipélago de Murano.

    Entre as diversas outras aplicações em bijuterias, muranos são usados como pingentes, entremeios ou mesmo como contas.

  • Filigrana (filigree)

    Filigrana é um tipo bem característico de renda metálica. Em brincos, os temas florais e foliáceos são os mais favoritos.

    Entre diversas possibilidades, pode ser usado como entremeio ou como pingente.

  • Brincos de pressão (clip-on)

    Há também brincos que não atravessam o orifício da orelha: ear climber, ear wraps e ear cuffs.

    "Ear climber/crawler" é um brinco de pressão (alguns modelos possuem um pino também) que acompanha o lóbulo em direção à hélice da orelha. "Ear wraps" são brincos para envolver a orelha como fazem as ponteiras de óculos. E os "ear cuffs" são pequenas argolas abertas (ou outros formatos, como "brincos escaladas") de pressão a serem fixadas no alto da hélice.

    Ambos são parecidos e enfeitam as hélices (em oposição aos tradicionais que ficam fixados ou pendurados nos lóbulos).

Pulseiras (bracelets), tornozeleiras (anklets), colares (necklaces)

  • Suporte (corrente, fio, couro, entre outros)

    Esse é o principal componente desses acessórios. Abrigará todos os demais.

    Correntes são suportes metálicos constituídos de elos. Costumam apresentar: argolas e fechos (garras).

    Fios podem ser de silicone e nylon. Os de silicone são flexíveis e por isso não precisam necessariamente de fechos. Fios de nylon necessitam de fechos de rosca.

    Já couros precisam de terminais, argolas e fechos. Os terminais são fixados no suporte com cola (por exemplo, cola E6000) ou por pressão (caso apresentem abas flexíveis). Sendo que couros são muito utilizados para fabricar acessórios boho (bohemian) e vintage.

  • Entremeio
    Entremeios

    Como o próprio nome diz, é tudo que está entre duas coisas. Uma pulseira, por exemplo, pode possuir um ou vários entremeios.

    É usado para enfeitar o suporte (ou base anzol, no caso de brincos) e assim quebrar sua monotonia.

    Os modelos mais comuns são aqueles para abrigar strass ou pedra (ou gema). O strass (ou pedra) é então colado num orifício de dimensão padronizada.

  • Pingente (charm)

    É um penduricalho de vasto uso em acessórios. Dependendo do formato, pode ser chamado de berloque (breloque). Geralmente possui um orifício no topo para encaixar algum conector (argola, por exemplo).

  • Argola (jump ring)
    Argolas

    É uma circunferência aberta. Serve para unir os demais componentes entre si. Os entremeios geralmente são conectados aos suportes através de argolas. Em correntes é o único conector que garante firmeza.

  • Fecho
    Fechos lagosta

    Fechos servem para fechar a pulseira, tornozeleira ou colar.

    Existem 3 tipos bem populares: fecho rosca, fecho circular (também chamado de "fecho mola"), fecho lagosta (existe uma variação chamada "fecho italiano", mais alongado e sem argola na extremidade). O uso de cada um dependerá da proposta do design ou do suporte. Fecho lagosta ou italiano combina bem com couro e circular com corrente fina. Já fecho rosca é utilizado unicamente em fio de nylon.

  • Terminal
    Terminais

    Alguns suportes, como o couro, oferecem dificuldade para conexão. Terminais são feitos para conectar o suporte com uma argola. E a argola então pode se conectar a diversos outros componentes (fechos, entremeios, etc).

  • Contrapino (eye pin)
    Contrapino

    O contrapino é parecido com o alfinete, tanto na aparência quanto no uso. A única diferença é que não possui uma cabeça.

    Uma outra aplicação bem típica (além de ser suporte para contas em brincos) é servir de conector para entremeios, terminais, argolas e fechos.

  • Canutilho
    Canutilhos

    São pequenos canudos (cilindros perfurados) metálicos.

    Em pulseiras, tornozeleiras e colares, canutilhos são usados como entremeios ou extensores.

  • Conduíte

    É uma capa cilíndrica. Costuma ser empregada para cobrir fios de nylon (ou silicone) e assim alterar o acabamento.

  • Lantejoula

    Lantejoulas são placas metálicas bem reluzentes com um furo central, usadas como entremeios ou para formarem penduricalhos. Em acessórios, apresentam-se tipicamente sob o formato circular.

  • Conta (bead)
    Contas

    Conta é uma peça (geralmente redonda) perfurada para ser atravessada por um fio (silicone ou nylon), alfinete ou contrapino. Sua composição costuma ser plástico, resina, metal, pedra, biscuit, madeira e fruto (semente). É vastamente utilizada na produção de bijuterias e biojoias.

    Miçangas são contas pequenas.

Contate-me
Email (opcional)
O que há de errado?
Email (opcional)
Comentários
anonymous #1731
buy gucci brown purple gradient s aviator sunglasses
Responder
Seu comentário
Email (opcional)
Publicar Cancelar